Rephotographing Atget 020_g5i0

Enlèvement de Déjanire, par Marqueste, jardin des Tuileries, 1907-08/1998

Rephotographing Atget 025_g5i3

Place du Pont-Neuf, 1899/1998

Rephotographing Atget 022_g5i1

Jardin des Tuileries, 1907/1998

Rephotographing Atget 026_g5i4

Au Bon Jardinier/La Passion du Jardin, quai de la Mégisserie, 1902/1997

Rephotographing Atget 034_g5i8

Ancienne maison de la maîtrise de Saint-Eustache, 25 rue du Jour, 1902/1997

Rephotographing Atget 076_g5i38

Rue des Ursins, 1900/1998

Quem me conhece sabe o quanto eu sou apaixonada por Paris. Ainda criança eu sonhava com a cidade. O sonho se tornou realidade quando, em 2004, eu fiquei em segundo lugar em um concurso de fotografia que me premiou com 7 dias na cidade luz. Desde então eu me pego, vez ou outra, sentindo cheiros e sensações que só existem lá. Foi mais ou menos nessa mesma vibe que o fotógrafo Christopher Rauschenberg começou a fotografar a cidade em 1989, numa espécie de remake de um outro fotógrafo, Eugene Atget, que havia clicado Paris entre 1888 e 1927. É realmente incrível a semelhança entre uma fotografia e outra, principalmente pelo fato de Paris não ter mudado praticamente nada após 100 anos. Veja a série completa.

Christopher Rauschenberg
site

Eugene Atget
site

Compartilhe:
Escrito por Stephanie Salateo
criadora de conteúdo criativo, mãe de Alice e Caetano, moro em São Paulo e não vivo sem café. tenho 31 anos e sou geminiana com ascendente em câncer, ou seja, não faço muito sentido.