Esse ano o blog deu uma estacionada e mais ou menos como eu disse outro dia aqui, parei sem querer, porque outros projetos acabaram tomando um bom espaço do meu tempo. O Salateando não é minha fonte de renda, portanto eu tenho que correr atrás de sustentar, principalmente, Alice. Caso você não saiba, eu larguei emprego e toda vida profissional para me dedicar à experiência de me tornar mãe, porém, desde o dia em que essa decisão foi tomada, era certo que eu voltaria a trabalhar ~ de verdade ~ quando Alice completasse 1 ano.

Dito isso, desde o ano passado eu estou com um projeto em sociedade com uma amiga de colégio, criamos uma agência de marketing digital para micro, pequenas e médias empresas. Como todo negócio a gente começou pequenininhas, com isso acabei deixando o blog de lado, porque de alguma maneira deixou de ser prioridade pra mim vir postar por aqui enquanto me dedicava especificamente a esse projeto profissional. Então dizer que não tive tempo de passar por aqui é mentira. Uma pessoa que trabalha com marketing digital sabe muito bem que pra tudo se dá um jeito e se planejar direito, funciona. A questão aqui foi realmente prioridade.

Não contente, eu já estava há anos querendo me dedicar mais à fotografia. Sempre fui apaixonada, mas sempre arrumava uma desculpa para deixar para depois. Tanto que uma das metas da minha lista de 101 coisas em 1001 dias, é justamente fotografar mais. Com a gestação, o nascimento de Alice e como a maternidade transformou a minha vida, resolvi unir esse universo incrível à minha paixão pela fotografia. Junto da minha insatisfação com essa máfia das cesáreas, a qual contei outro dia como me senti em relação à maneira como Alice veio ao mundo, comecei a estudar e pesquisar muito sobre o Parto Humanizado. Foi assim que acabei amadurecendo a ideia de fotografar gestante, parto humanizado e famílias. Minhas duas motivações maiores são: meu profundo envolvimento com a maternidade e a maneira como eu vejo e sinto o poder que tem de transformar mulheres em mães maravilhosas e por querer que o parto humanizado seja lei levando, através da fotografia, informações para outras mães que assim como eu não tiveram apoio e acesso a esse tipo de informação. Foi assim que entrei de vez para a fotografia profissional e montei meu site e começo de portifólio.

Espero que assim quem aparecer por aqui possa entender o motivo da falta de atualização aqui no Salateando e para quem sempre visita o blog eu quero agradecer por ainda voltarem, mesmo faltando posts frequentes e dizer que muito em breve (não vou especificar data), eu volto a postar as coisas bonitas e inspiradoras que eu sempre gostei de guardar aqui.

Compartilhe:
Escrito por Stephanie Salateo
criadora de conteúdo criativo, mãe de Alice e Caetano, moro em São Paulo e não vivo sem café. tenho 31 anos e sou geminiana com ascendente em câncer, ou seja, não faço muito sentido.