Estávamos eu e o namorado arquitetando um plano de fugir do trânsito, no qual já havíamos gasto mais de 2 horas de nossas preciosas vidas. Eis que, bem, sexta feira, véspera de feriado e nossa happy hour tava mais pra pesadelo, tivemos a brilhante ideia de dar uma passeada pelo bairro da boemia paulistana. Com muita coragem e determinação, conseguimos chegar na Vila Madalena. A missão agora era outra, encontrar um lugar legal, que não estivesse lotado e que não tivesse música ao vivo (nada contra os músicos de bar, eu tava estressada mesmo). Depois de algumas voltas de carro pelos quarteirões, resolvemos nos arriscar a pé. Foi melhor do que imaginávamos. Logo de cara, achamos um lugar com umas mesinhas, pouca iluminação, aconchegante e parecia ser interessante. Nem nos aventuramos bar adentro (não faça isso!), ficamos nas mesinhas que estavam ali na varandinha da frente mesmo. Para nossa alegria (sem paródia, ok?) o Melograno é uma  forneria com uma carta de cervejas que WOW! Quanta breja!  É cerveja de tudo quanto é canto do mundo, quer dizer, são 150 rótulos para ser mais exata. O cardápio é dividido por paladar e com explicações sobre o sabor, história etc, para os mais leigos. Nós tomamos a deliciosa Colorado Indica e depois provamos a cerveja alemã Weihenstephaner fabricada pela cervejaria mais antiga do mundo. O sabor era bem exótico, um mix de Tutti-Fruit com Banana(!), embora da segunda vez que tomamos, ela tinha gosto de cravo. Para petiscar, azeitonas pretas chilenas e bolinho de abóbora com gorgonzola. Bolinhos deliciooooooosos e bem servidos!!!!

Bom, viramos fã do lugar mas do atendimento, nem um pouco. O garçom veio umas 3 vezes em menos de 10 minutos perguntar o que queríamos. Com 150 opções de cerveja, como é que eu vou escolher assim sob pressão gente? Sem contar que, estamos acostumados com as nacionais, então, tava legal dar uma lida no que dizia o cardápio, sem pressa nenhuma e o bar estava vazio, não precisava do nosso cardápido de volta com urgência. Ele até tentou ser legal depois de perceber que a gente queria mesmo ficar “estudando” o cardápio e perguntou que tipo de cerveja eu gostava. Como eu vou saber? Eu não entendo dessas coisas moço, deixa eu ler tá? – não respondi assim, eu sou bem simpática e educada, viu? – Na verdade achamos o senhor garçom bem atrapalhado, com pressa pra ir embora, sabe? E da segunda vez o mesmo garçom nos atendeu e foi um pouco mais simpático com a gente, mas ainda assim senti falta de um serviço atencioso sem ser invasivo. Também me senti incomodada com o fato das DUAS vezes, o rapaz que ficava lá dentro, me encarar pela janelinha um tempão. Achei muito deselegante! Dá até aquela preguiça de voltar no lugar assim tão logo.

Mas o Melograno é um lugar bem bacana e diferente e já existe há 4 anos. Além da extensa carta de cervejas, eles possuem uma bela carta de vinhos e um espaço mais do que simpático. Como das duas vezes ficamos no deck da frente, nem conhecemos o ambiente e todo seu potencial, mas dando uma olhada no site dá pra ter uma ideia de como lá é incrível. Quando você der uma passada por lá, não exite em pedir as entradas e os Paninis, são algumas especialidades da casa. Apesar dos rapazes do atendimento, pretendo voltar em breve. Minha única sugestão à casa seria abrirem um pouco mais cedo aos sábados, no mesmo horário de domingo (16h), acho que seria bem agradável passar o fim da tarde no jardim ao lado do pé de romã que dá nome à casa (Melograno é Romã em italiano). Para conhecer melhor, acesse o site do Melograno ou vá até a Rua Aspicuelta, 436. A casa abre de segunda a domingo no famoso horário do happy hour. Aconselho a ficar de olho no site, ireto rolam uns shows legais por lá.

Já conhece o Melograno? Tem algum tipo de cerveja preferido? Comente.

Compartilhe:
Escrito por Stephanie Salateo
criadora de conteúdo criativo, mãe de Alice e Caetano, moro em São Paulo e não vivo sem café. tenho 31 anos e sou geminiana com ascendente em câncer, ou seja, não faço muito sentido.