Tudo bem ser muito

Meu ano tem sido tão cheio de mudanças que aquela velha história do “o que tiver que ser, vai ser” nunca fez tanto sentido para mim como faz hoje. Trabalho, diversão, relações pessoais e profissionais. Tudo tomou um novo rumo e eu soube, mesmo me equilibrando em corda-bamba, lidar muito bem com cada situação e pude deixar que o tempo ditasse todas as regras. No meio disso tudo teve carnaval, catuaba, festas, reencontros, encontros e muitos desencontros. Botei algumas regras na minha cabeça e passei a seguir a linha do tempo da minha vida dando um passo de cada vez. Como escrever ou ler um livro. Não dá para pular para o próximo capítulo sem encerrar um outro. A pressa se mostrou minha amiga e me deu um tempo, tudo está fluindo com calma, mesmo quando sou pega de surpresa.cymera_20161029_163842

Embora eu não consiga ter certeza de nada a longo prazo, eu sei muito bem que determinadas escolhas são para sempre. Talvez por isso eu vivo evitando me jogar de cabeça em tudo. Afinal de contas, são 30 anos de impulsividade e emoções à flor da pele. Ouvir a vida toda que você é muito emoção e pouco razão não é tão simples quanto parece, mas acontece que eu sou assim e hoje eu não vejo porque enjaular minha intensidade. Tudo que eu sei e vivi, pessoal e profissionalmente são frutos de todo esse meu exagero. Talvez por isso eu passe tanto tempo longe do blog por estar mais interessada em outras áreas da minha vida ou por eu exercer 5 atividades profissionais ao mesmo tempo, porque eu só sei ser muito. E ser muito não é ruim. Já me atrapalhou demais, mas hoje, com toda calmaria que eu resolvi deixar entrar no meu coração e na minha vida, eu sei levar esse tudo numa boa. Foi assim que eu consegui vencer a tricotilomania puxada que me dominou por mais de 10 anos, também foi assim que eu consegui ter calma e estar há 6 meses sem ter uma crise de ansiedade.

A vida é um exercício de se aceitar, entender e amar. A gente vai transbordando o que somos pelas beiradas e pensamos só no que estamos deixando escapar, enquanto aqui dentro tem tanto a ser explorado. Eu não me cobro mais. Não preciso enlouquecer porque eu tenho que ser todo dia uma mãe excepcional, postar no blog assuntos mais relevantes para quem lê do que para mim mesma, conseguir 30 clientes por dia para cada tipo de serviço que eu presto, além de dar conta de administrar uma empresa e minha vida pessoal. Tá tudo bem se faltar um pouquinho aqui ou ali. Se num dia eu chorar assustada com tudo isso, tá tudo bem também. Entendi que quando me dedico mais a mim e me cobro menos por não ser perfeita em todas as áreas da minha vida, eu consigo realizar as coisas com muito mais carinho e atenção. Não é fácil, tem dias que são uma merda, a ansiedade e as frustrações ainda moram aqui dentro de mim, eu só não deixo mais que sentimentos ruins, que me tiram de mim, dominem todos os outros sentimentos bons que também existem aqui. E tá tudo bem. Às vezes a gente só precisa respirar.

Comente

Desafio 21 Dias Sem Carne – Semana 03

1284_30_1438764906_Fotorreceita

Desafio concluído! Depois de 2 deslizes, consegui me manter firme até o fim. Posso dizer que oficialmente virei vegetariana, ou melhor, peixetariana, porém, como comentei semana passada, eu vou evitar também o peixe, mas se tiver vontade me permitirei comer sem culpa. Outros tipos de carne realmente foram excluídos do cardápio. Eu sei que ainda vou sentir umas vontades enormes quando aparecer na minha frente algumas coisas que eu realmente curtia comer. Porque na real eu não deixei de gostar, talvez isso aconteça com o passar dos anos, não sei. Já tenho umas metas com prazos não estabelecidos por enquanto, mas quero mais para frente também não comer mais frutos do mar e depois parar com laticínios. São escolhas muito pessoais, não vou virar aquele tipo de pessoa que tenta convencer qualquer um do quanto essa decisão deveria ser tomada pelo mundo todo.

Essa última semana foi a mais fácil de todas, então concluo que conforme o tempo vai passando as coisas fiquem realmente mais fáceis de lidar. Parar de comer carne é muito mais cortar um hábito do que um vício, digamos. Eu amo e sou viciada em café por exemplo, passar dois ou três dias sem me dá dor de cabeça entre outros sintomas de abstinência de cafeína. O mesmo acontece quando rola aquela vontade louca de comer chocolate ou algum doce, é um efeito ligado ao açúcar e a falta dele no organismo te deixa mesmo maluca por um docinho. É bizarro, eu sei, mas é real. Isso não aconteceu em nenhum momento por não estar mais comendo carne, nem sentindo o cheiro eu fiquei com vontade de comer um bifão acebolado, muito pelo contrário, os efeitos são todos positivos. Durante todo o desafio eu comi fora de casa pouquíssimas vezes, então não sei dizer se eu vou ter muita dificuldade quanto a isso, mas eu acredito que não porque passarei a frequentar lugares que sei que têm opções vegetarianas. Por outro lado eu não conheço muitos lugares dedicados ao público vegetariano, mas eu nem ligo, na verdade evito. Morar em São Paulo e comer fora sai caro pra cacete, não tô podendo.

ft_oct03edf03_t_vertreceita

Já disse e repito, a minha disposição para tudo é maior, durmo melhor, meu humor melhorou, meu organismo melhorou demais e obviamente isso também está ligado à uma alimentação mais saudável que eu venho mantendo desde que iniciei o desafio. O fato é que carne nenhuma fez falta nas minhas refeições e eu fiquei muito feliz por isso. Outro detalhe interessante é que após 3 semanas eu eliminei 3 kg. Geralmente em um dia comum em home office eu acordava, tomava meu café preto e 2 torradas de pão integral ou de grãos. Depois, na hora do almoço, comia sempre algum tipo de carne como acompanhamento, de tarde comia somente se desse fome e de noite fazia um lanchinho. Basicamente era isso, ou seja, não comia muito, sempre fui de comer pouco mesmo. Depois de parar com a carne as únicas coisas que realmente mudaram, além do fato de não ter mais misturas nas minhas refeições, foi que passei a comer mais saladas e me alimentar a cada 3 horas. Só isso, o resto continua sendo a mesma rotina. Eu tenho o organismo meio lento então sempre que comia carne vermelha eu ficava me sentindo super pesada por horas e isso não acontece mais, mesmo quando dou uma exageradinha.

Concluindo, foi muito mais fácil do que eu esperava, além de muito mais benéfico para a minha saúde. Sempre posterguei essa decisão por achar que seria muito torturante ter que parar de comer churrasco e outras coisas que eu realmente gosto e comi a vida inteira, mas foi muito mais fácil e não exigiu nem metade do esforço e determinação que eu achei que fosse precisar. Obviamente eu fiz essa escolha em um momento em que a ideia já estava bem amadurecida em mim, aí veio o Desafio 21 Dias Sem Carne e deu o empurrão final que eu precisava. Seja com isso ou qualquer outra coisa que você queira mudar nos seus hábitos, a única pessoa capaz de fazer acontecer é você mesmo porque sempre vão existir pessoas para não te apoiar e elas podem estar mais próximas do que imagina, situações vão surgir para te testar e somente você é capaz de se manter firme. Então eu deixo o conselho de que se você acha que aquilo é o que você precisa e que vá te fazer bem, siga em frente e não deixe que nada nem ninguém te diga o contrário. E isso serve para tudo nessa vida, não somente para quem quer parar de comer carne, de fumar, de beber etc. ♡

 imagens: Jamie Oliver e Martha Stewart
Comente

Desafio 21 Dias Sem Carne – Semana 02

quinoa_salad_sanp_peas_scallions_mint_2000x1500receita

Segunda feira concluí, dessa vez com sucesso, minha segunda semana do Desafio 21 Dias Sem Carne.  Não houve nenhum deslize como semana passada, mas isso só é fácil mesmo quando fico em casa. É muito mais complicado educar as pessoas a respeitarem sua opção do que controlar a vontade. Aqui em casa rolou frango, peixe e carne vermelha para Alice e minha mãe e eu fiquei bem tranquila, mesmo sentindo aquele cheirinho que eu ainda gosto muito. Eu sei que isso vai passar uma hora e eu também não sinto que estou me torturando ou passando vontade, sabe? Sempre fui contra passar vontade, mas no caso isso está mais ligado à força de vontade porque é uma escolha minha e eu estou feliz com isso.

Por ter passado 29 anos sem nenhuma restrição alimentar, as pessoas próximas estranham quando eu digo que parei com carne e fica mais complicado ainda quando vamos comer. Sempre rola algum comentário do tipo: “ah só um pouco não vai fazer diferença, você começou agora” e olha, faz sim, porque é a minha conciência que vai pesar. Já vi gente declarar que virou vegetariana e receber um monte de desapoio. Pessoas mandando fotos de churrasco, dizendo que era fase e daí para pior. Eu até cheguei a achar que as pessoas próximas, como meu irmão que é super carnívoro, fossem falar coisas do tipo, mas me senti tão confortável quando ele fez um churrasco e colocou polenta e pão de alho para eu comer. É isso que a gente precisa, de apoio ou de, no mínimo, respeito pelas nossas decisões.

bahnmi04receita

Eu tô super feliz de ter conseguido resistir algumas tentações, a carne não me fez falta, de verdade. Curiosamente passei a ter mais vontade de preparar a minha própria comida, de usar a criatividade na elaboração de um prato, mesmo que esse seja simples. Sempre fui bem preguiçosa para cozinhar, apesar de saber fazer várias coisas gostosinhas, botar a mão na massa ainda era algo que eu precisava trabalhar porque a vontade era zero. Agora eu boto um som bem alto e vou criando, é até que divertido. Como tenho preparado minhas refeições, meu consumo de industrializados, que já era baixo, reduziu mais ainda. Tenho comido bastante frutas, legumes, folhas, leguminosas e grãos. Pode me chamar de louca, mas eu sempre curti comer salada, só tinha preguiça de preparar. Em um dos emails recebidos por conta do Desafio 21 Dias Sem Carne havia a explicação de todos os grupos alimentares que eu preciso comer diariamente e também que não é porque virei vegetariana que eu tenho que substituir a carne por soja, como eu pensava. Assim eu vou percebendo que é muito mais fácil do que eu imaginava, inclusive estou salvando diversas receitas que acho por aí.

Quanto às sensações dessa semana, além de me sentir mais leve e bem disposta, meu humor melhorou, estou mais calma e paciente, e minha vontade por doces reduziu bastante. Geralmente eu sempre ficava meio nóia atrás de qualquer coisa doce e desde que eu parei com a carne e passei a me alimentar melhor eu não tenho mais vontade. Acredito que isso seja porque estou me alimentando melhor, não exatamente por ter excluído a carne da minha vida. Também decidi que, pelo deslize de ter comido peixe na semana passada, eu vou estender o desafio por mais uma semana. Depois do prazo vou continuar me alimentando como agora, a ideia era virar peixetariana, porém decidi que vou evitar o peixe também, mas se rolar de comer vai ser sem culpa.

Alguém aí também está fazendo o desafio ou já concluiu? Vamos trocar figurinhas! 

imagens: Matt Taylor Gross para Saveur e Earthy Feast
Comente